Carla Carbatti e os Silêncios da Luz


A poeta Carla Carbatti é doutoranda em Estudos da Literatura e da Cultura pela Universidade de Santiago de Compostela (USC). Possui textos poéticos, ensaísticos e resenhas publicados em várias revistas digitais, em zines, jornais e antologias. É autora do livro de poesia ‘Na cadência do caos’ editado pela urutau, 2016. 



toda cicatriz é o corpo de um encontro


porque sua voz tem a inclinação dos trigais
o território das minhas mãos
é o exercício dessa manhã vagarosa
dando sopro ao lilás das flores
ainda sem nome, ainda sem forma
somente as vibrações térmicas
da música das mãos com a terra

há muitas possibilidades de atravessar esse movimento
um poema
uma dança
um silêncio

nos perderemos, provavelmente, na geometria de uma pétala
na genealogia dos orvalhos
nas disritmias de um mapa multitudinário

pois

todo mergulho cava na pele janelas para o abismo
e toda cicatriz é corpo de um encontro



_



lost mapping


um dia inteiro com um rio
nas costas

:pausa para um tempo não pulsado:

patas de cavalos lumínicos agitam as retinas
:exemplos de tormentas:
são seus passos ilimitando o sul
a voz e os pássaros inventam um lost mapping
vibrações sutis e indecifráveis
precipitam-se nos interstícios da madrugada

mas sempre regressamos
com um âmbar ou uma palavra



_



ondulatória


dobrar a esquina
para esquecer o som
da máquina do tempo

mas o mundo se encontra
também no meu interior
como matéria e movimento

o trajeto é feito licor
flamba as feridas
embriaga as palavras

sol e sandálias nas solas dos pés
a manhã brusca
busca os silêncios da luz



_



rabisco


tampinhas de garrafa pet
satélites
saudade

ao norte do equador
o outono vocabulariza o tato

rastros de línguas sem origem
vento, folhagem

convulsões silábicas
palavras
mudas
inacabadas

uma hiância de caber cartas
cartões-postais, portas, pontes, papeis timbrados
trem, bicicleta, cavalos alados e sinal de fumaça

na fenomenologia do abraço
pássaros
em fuga
[refúgio]

_
A poeta Carla Carbatti

c
_


A Revista POESIA AVULSA é editada e organizada pelo poeta André Merez [+ informações ] 


_


Comentários

Poetas mais lidos na Poesia Avulsa:

Conceição Evaristo: Cinco Poemas Definitivos

Patativa do Assaré: Poemas de Luta e de Terra

Três poemas de Raul Bopp

Adriane Garcia: Poemas de Quase Amor

Cesare Pavese: Três Poemas Traduzidos

Tarso de Melo: Íntimo Desabrigo

Roque Dalton: Um Poeta Guerrilheiro

Alberto Bresciani em Seis Poemas

Seis poemas visuais de Fabiano Fernandes Garcez

Micheliny Verunschk: Poemas Esparsos