Felipe da Fonseca: Quatro Poemas do Fósforo Frio

Felipe da Fonseca nasceu em Queimados, baixada fluminense do Rio de Janeiro, em 1985. Lecionou Língua Portuguesa, Redação e foi editor de texto no Grupo Record. É revisor, preparador de originais freelance, flamengo e poeta, autor de Ícaro ocaso (2009) e Ecce humu (2011). Os poemas selecionados aqui são de Fósforo frio, sua terceira precipitação.

O poeta Felipe da Fonseca





irrisão
i.m. Donizete Galvão


a
pomba
uma pomba
branca antes por acaso
que por metáfora fugiu
como dentro dos piores
sonhos fugiu aos carros
aos cães ferida nas asas
do olho bom da pomba
branca algo que
a anima
sse foi
se



_



depois de Leonardo Fróes


não o de
Schrödinger
        como boceja
        va como se ia sos
        segado a um
focinho da aniquilação


         lembro-me
         bem: depois
de envenenarem
         o gato
choveu (sem causa
lidade) por cinco
dias inteiros


          chamei deus
àqueles bolores
rebentando do chão



_



acalanto
excerto de violência






_



(          )






                                                                  do pouco
                                                ( ( absoluto  (
                                                                  o mar


                                                                               noturno,
                                                                                             ) pupila ) )
                                                                              de abismo


                                                                  no espaço
                                           ( ( espessa, (
                                                                 mal sabe


                                                                        (é segredo)
                                                                                           ) seu báls ) )
                                                                     amo negro



_
O Poeta Felipe da Fonseca


_


A Revista POESIA AVULSA é editada e organizada pelo poeta André Merez [+ informações ] 


_

Comentários

Poetas mais lidos na Poesia Avulsa:

Conceição Evaristo: Cinco Poemas Definitivos

Patativa do Assaré: Poemas de Luta e de Terra

Três poemas de Raul Bopp

Adriane Garcia: Poemas de Quase Amor

Cesare Pavese: Três Poemas Traduzidos

Tarso de Melo: Íntimo Desabrigo

Alberto Bresciani em Seis Poemas

Roque Dalton: Um Poeta Guerrilheiro

Seis poemas visuais de Fabiano Fernandes Garcez

Micheliny Verunschk: Poemas Esparsos