Wanda Monteiro: Tríptico sobre o poema

Wanda Monteiro, advogada,  escritora, uma amazônida nascida à margem esquerda do rio Amazonas, em Alenquer, Pará, Brasil. Colabora com vários projetos de incentivo à leitura de seu país, seus textos poéticos são publicados em importantes revistas literárias_ impressas e digitais_  veiculadas em várias regiões do pais, como Mallamargem, Revista Gueto, Acrobata, Diversos &Afins, Relevo, Lavoura, Zona da Palavra, Vício Velho, Ruídos, LITERATURA BR, LITERATURA &Fechadura, DesEnredos, InComunidades (Lisboa) . Tem seus poemas publicados nas antologias: Senhoras Obscenas; Proyecto Sur Brasil, Sarau da Paulista; Mulherio de Letras/Lisboa e na primeira e histórica publicação impressa da Revista Literária  GUETO. Obras publicadas: O BEIJO DA CHUVA, 2008, Ed Amazônia; ANVERSO, 2011, Ed Amazônia; DUAS MULHERES ENTARDECENDO, 2015, Ed TEMPO _ em parceria com a escritora Maria Helena Latinni; AQUATEMPO, 2016, Ed Literacidade; A LITURGIA DO TEMPO E OUTROS SILÊNCIOS , 2019, Ed Patuá, AQUATEMPO AQUATIEMPO, Editora Patuá, 2020. Participou nesse ano de 2020 de duas publicações com textos poéticos :  A coletâneas em Livro manifesto antifascista chamada Ato Poético, editora Oficina,   organizado por Márcia Tiburi e Luís Maffei e o segunda, a coletânea ANTIFASCISTAS, contos, crônicas, poemas de resistência, organizada por Leonardo Valente e Carol Proner, editora Mondrongo.





Tríptico Sobre o Poema


o poema 
de dentro da pedra
encara
medra
provoca
extirpa os sentidos de suas raízes
corporifica-se 
na exata imagem
atravessa a retina
fragmenta-se na inexata existência

fora da pedra
o verbo acautelado de nascer
petrifica-se ante o indizível de seu olhar


*
*


o tempo fala ao teu ouvido
palavra-precipício
rasga teu pensamento ao meio
abre fina fenda
funda – escura
tira-te o fôlego
faz tua boca escassa de voz
podes ouvir os passos 
das palavras em fuga
o ranger de seus ossos 
ferindo o deserto do teu peito

é tudo tão silêncio em teu chão
e tu não sabes 
que o poema morreu


*
*


poeta tem o rumor da palavra
a visão atenta à imagem 
projetada dentro dos olhos
no fundo do fundo da paisagem 
está a nascente nua
onde habita o silêncio
é nesse silêncio 
que  toca a música do poema


*
*



__
A poeta Wanda Monteiro


A Revista POESIA AVULSA é editada e organizada pelo poeta André Merez 




Clique em um dos links acima e apoie a nossa revista!


Comentários